domingo, 24 de junho de 2018
Nova Andradina - MS
Internacional

Brasileira defenderá na ONU direitos de pessoas com deficiência

07h:56min - 13 jun 2018 Por Agência Brasil

Pela primeira vez, o Brasil terá um representante no Comitê da Organização das Nações Unidas (ONU) sobre os Direitos das Pessoas com Deficiência (CDPD). A deputada federal Mara Gabrilli (PSDB-SP) foi eleita ontem, terça feira (12), em Nova York, Estados Unidos, para uma vaga de perito do comitê. Mara Gabrilli concorreu com 21 candidatos e obteve 103 votos entre representantes de 175 países.

A deputada afirmou à Agência Brasil que a eleição fortalece as políticas públicas para pessoas com deficiência no Brasil. Segundo Mara, o empenho será também para buscar reduzir os preços dos produtos chamados de tecnologias assistidas – sistemas que ajudam os deficientes, como telas para pessoas que não enxergam.

“Tenho vários planos, entre eles trabalhar para desonerar tecnologias assistidas, como os leitores de telas para cegos. Isso pode ser possível firmando acordos bilaterais e assim facilitar para que mais pessoas tenham acesso, porque essas tecnologias são caras no mundo todo”, afirmou.

Mara Gabrilli perdeu os movimentos da cintura para baixo, há mais de 20 anos, em um acidente automobilístico. Desde então, atua em favor das pessoas com deficiência.

Mandato

Mara Gabrilli cumprirá mandato no período de 2019 a 2022 para ser exercido na Conferência dos Estados-Partes da Convenção das Nações Unidas sobre os Direitos das Pessoas com Deficiência.

Ao todo, são nove peritos eleitos que monitoram a implementação da Convenção da ONU e formulam recomendações gerais para as pessoas com deficiência. As reuniões ocorrem duas vezes por ano em Genebra, na Suíça.

Nota

Em nota, o Ministério das Relações Exteriores elogiou a eleição de Mara Gabrilli.

“A eleição da candidata brasileira reflete o compromisso do país com o tema, demonstrado pelos esforços e avanços das políticas nacionais para a promoção dos direitos das pessoas com deficiência.”

O Itamaraty informou que o governo brasileiro tem atuado em favor da regulamentação e implementação dos compromissos assumidos com a ratificação da convenção, que preconiza que as pessoas com deficiência sejam protagonistas de sua emancipação e cidadania, “sem deixar ninguém para trás”, como determinado na Agenda 2030 para o Desenvolvimento Sustentável.

Deixe seu comentário

Ver todas as notícias