Nova Andradina - MS Busca
Economia

Pela 1° vez Brasil fica fora dos 25 melhores países para investir

País aparecia no levantamento da consultoria A.T. Kearney desde o primeiro ranking, em 1998.

16:35 - 08 maio 2019 | Por G1

O Brasil deixou de ser um país confiável para o investimento estrangeiro. È o que indica o ranking da consultoria A.T.Kearney, que lista os 25 países mais confiáveis – e do qual o Brasil saiu pela primeira vez desde que o levantamento foi desenvolvido, em 1998. Sem o Brasil, nenhum país da América do Sul aparece no ranking.

“A ausência de quaisquer países sul-americanos entre os 25 é notável, entretanto, dado que o Brasil foi incluído em todas as edições anteriores do ranking”, aponta o estudo. Em 2018, o país já aparecia na 25ª e última posição.

Posição País
1 Estados Unidos
2 Alemanha
3 Canadá
4 Reino Unido
5 França
6 Japão
7 China
8 Itália
9 Austrália
10 Cingapura
11 Espanha
12 Holanda
13 Suíça
14 Dinamarca
15 Suécia
16 Índia
17 Coreia do Sul
18 Bélgica
19 Nova Zelândia
20 Irlanda
21 Áustria
22 Taiwan
23 Finlândia
24 Noruega
25 México

 

O ranking é feito a partir de pesquisas com 500 executivos de companhias líderes mundiais. Ele é calculado com base em perguntas sobre a probabilidade das empresas dos pesquisados em fazer um investimento direto em mercados específicos ao longo dos três anos seguintes.

Enquanto aqui a confiança cai, os Estados Unidos seguiram na primeira posição pelo sétimo ano seguido, “provavelmente refletindo seu grande mercado doméstico, continuada expansão econômica, impostos competitivos e capacidades tecnológicas e de inovação”, aponta o estudo, que ressalta, no entanto, que a recente volatilidade das políticas podem estar reduzindo a atratividade.
Alemanha aparece em segundo lugar, seguida pelo Canadá e Reino Unido. Já a China tombou no ranking, caindo para a 7ª posição – a pior desde o início do estudo.
Países mais confiáveis para investimento estrangeiro

Os países desenvolvidos ocupam 22 das 25 posições no ranking, sendo 14 deles na Europa. China, Índia e México são os únicos emergentes. A consultoria aponta, no entanto, que dados Conferência das Nações Unidas sobre Comércio e Desenvolvimento (Unctad) mostram que os fluxos de investimento estrangeiro para mercados emergentes cresceram nos últimos anos.

“E 43% dos investidores nos dizem que estão procurando novas oportunidades em mercados emergentes”, diz o estudo.

A consultoria indica também que os investidores permanecem otimistas com a economia global, com 62% dos consultados se dizendo mais otimistas que no ano anterior. Esse percentual, entretanto, é menor que os 66% da pesquisa de 2018.

(Fonte: A.T.Kearney *Informações G1)