domingo, 18 de novembro de 2018
Nova Andradina - MS
Política

“A nossa proposta é trocar imposto por emprego”, diz Mochi

O candidato foi entrevistado em um programa de rádio, nesta quinta-feira

08h:43min - 14 set 2018 Por JD1 Notícias

O candidato ao governo de Mato Grosso do Sul pelo MDB, Junior Mochi, afirmou durante entrevista na rádio Capital 95 FM, nesta quinta-feira (13), que sua proposta de governo é trocar imposto por emprego. Para ele, há várias maneiras de reduzir os tributos e melhorar a vida dos sul-mato-grossenses.

Mochi comentou sobre o motivo que o levou a se candidatar ao governo. “Quero ser governador para fazer o que tem que ser feito, para melhorar as condições e qualidade de vida da população. O bom governo é aquele que tem o foco voltado na redução da desigualdade, na melhoria e no aperfeiçoamento das políticas públicas, que geram a igualdade e oportunidade das pessoas”, disse.

Conforme ele, uma das propostas para o governo do Estado é diminuir impostos. “Existe algumas maneiras de fazer reduções, o primeiro deles é o Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS), que não é um imposto simples porque atua em várias atividades do comércio e do setor de prestação de serviços. Tem que saber identificar cada um deles e depois disso, propor alternativas de redução, para gerar competitividade e garantir junto com os produtores que não haja perda de receitas”, destacou.

O candidato citou um exemplo que acontece no município de Aparecida do Taboado. “A cidade gera emprego e está se industrializando, mas, boa parte dos funcionários moram em Santa Fé do Sul – São Paulo. Ou moram em Aparecida e compram em Santa Fé. Estamos perdendo competitividade porque o tributo ICMS em SP é 12% e em MS é 17%, isso gera um sobre preço do nosso produto”.

“Você tem que ter capacidade de olhar essas situações e encontrar uma alternativa”, afirmou Mochi. No entanto, segundo ele, para conseguir a redução do tributo uma das opções é a geração de emprego. “Isentar o ICMS nas empresas de micro e pequeno porte, que faturam até 360 mil ao ano. Para isso, é preciso fazer com que essas empresas que estão na informalidade se regularizem. Assim o empresário terá o ICMS zero, mas, é preciso que ele gere um ou dois empregos de carteira assinada. A nossa proposta é trocar imposto por emprego”, declarou. “Cada incentivo que o estado conceder tem que ser por adesão, pois a empresa tem que ter um compromisso. Com isso, o empresário tem uma redução na carga tributária”, complementou.

Mochi ainda lembrou-se dos R$ 8 bilhões da dívida ativa que, conforme ele, mais da metade se refere a multas. “A multa do estado é 150% depois que o empresário se torna inadimplente, o que dificulta as empresas se regularizarem com o estado. O refis que MS vai fazer reduzirá a taxa dos juros. Então, o parcelamento da dívida em 36 meses, a pessoa terá 50% de desconto. Em 24 meses 30%, em 12 tem 60%”, explicou.

Outra proposta do candidato ao governo do Estado é a redução é referente ao Imposto sobre a Propriedade de Veículos Automotores (IPVA). “Vamos diminuir. De 13%, voltaremos para 2,5% como era anteriormente. Temos que encontrar alternativas e ter capacidade de gestão para que não aumente a carga tributária”, ressaltou.

O parlamentar ainda finalizou dizendo que no seu governo não haverá aumento dos tributos. “No meu governo faremos um projeto para os empresários, que não haverá aumento de imposto. Ou reduzimos o tamanho da máquina ou vamos matar a galinha dos ovos de ouro”.

 

Deixe seu comentário

Ver todas as notícias