quarta-feira, 18 de julho de 2018
Nova Andradina - MS
Coluna B

O que tiver que ser, será

14h:09min - 09 fev 2018 Por Ana Carolyna Simões

O ano de 2017 foi um ano cheio de realizações pra mim. Deixei a cidade em que eu fazia faculdade, engravidei, me tornei mamãe, sou quase formada e trabalho num lugar que me sinto super bem. Tenho apenas 21 anos. Se alguém chegasse em mim há 2 anos e falasse que essa seria minha vida agora, eu jamais acreditaria. O motivo: esse não era o meu plano de vida.

Levando isso em consideração me deparei com o seguinte pensamento:  O quanto somos dependentes de termos tudo no nosso tempo, o quanto esperamos por coisas que as vezes nem foram feitas pra nós. Nos desesperamos por começarmos a faculdade um ano depois que nossos colegas. Nos desesperamos porque ficamos no cursinho, enquanto muita gente se forma. Nos desesperamos porque não nos casamos, aliás, nem namorado nós temos ainda.
Nos desesperamos porque ainda não temos condições de sair da casa dos pais ou até mesmo de mudar para uma casa melhor. Nos desesperamos porque mesmo depois de anos tentando, ainda não passamos num concurso público.
Nos desesperamos porque, na maioria das vezes, nos espelhamos no tempo dos outros.

Seguimos como exemplo, outras pessoas. E creio que nem preciso enfatizar que; as pessoas são todas diferentes. Ok, a sua melhor amiga já está se formando enquanto você mal sabe o que quer da vida, tá tudo bem. Cada um é cada um. Cada um tem seu tempo. Cada um tem seu acontecimento. Cada qual tem sua vitória, sua derrota, seu fracasso e sua conquista.
Devemos e com urgência, aprendermos a respeitar nosso tempo. A respeitar o tempo do outro. Precisamos respeitar a nossa individualidade e entender que você não está esquecido no meio desse monte de gente, você apenas está vivendo a sua vida da forma que deve ser vivida. Tudo no seu tempo e tá tudo bem. O que não veio ainda; talvez venha daqui um dia, um mês, um ano. Ou talvez, nem venha.

Hoje, depois de todos os obstáculos e mudança de caminho (acredite, foram muitos) digo apenas uma coisinha: precisamos acreditar e confiar no tempo de cada um. E, o que tiver que ser.. será. Talvez não da forma, nem no dia, que você espera. Mas acredite, tudo no seu tempo e do jeito certo.

Deixe seu comentário